top of page

Como reduzir os riscos e ampliar as chances de sobrevivência dos nossos negócios em tempos de crise?

Atualizado: 28 de nov. de 2021



Todo mundo já recebeu e continua recebendo inúmeras sugestões de precauções que devem ser tomadas para proteger a saúde em meio a pandemia do Covid-19. A ideia deste artigo é refletir quais ações podemos tomar para reduzir os riscos das operações e ampliar as chances de sobrevivência dos negócios.


Como em todas as crises, algumas empresas se prejudicam enquanto outras se beneficiam. Passada essa situação de pandemia, o que você acha que restará da saúde da sua empresa?

Já estão acontecendo reduções drásticas no deslocamento e a tendência nos próximos dias é que isso continue diminuindo. O que o seu negócio pode fazer para sobreviver sem pessoas circulando pela cidade, sem haver comércio e sem ter fluxo de receita?


Com o dinheiro circulando em baixa velocidade, as empresas menos preparadas para os momentos de crise se vêem obrigadas a demitir funcionários e fechar as suas portas. Algumas, vão conseguir sobreviver a esse período, outras talvez não.


Ao fim dessa crise, o comportamento do consumidor deverá sofrer severas alterações que irão impactar diretamente na forma como trabalhamos, compramos, negociamos e até mesmo nos divertimos.


 

Partindo desse cenário de instabilidade e mudança, aqui estão algumas ações que podem apoiar as empresas na busca pela sobrevivência no curto e médio prazo.


1. Comece olhando para dentro da empresa: reconstrua a base do seu negócio, custos, processos, pessoas, relacionamento e cultura;


  • Dissemine conhecimento e boas práticas de higiene e saúde entre os colaboradores. Ajude-os a compreender a gravidade da nova dinâmica mundial;

  • Seja um bom líder! Gere confiança entre sua empresa e seus colaboradores;

  • Avalie o tempo de vida do seu negócio. Quanto tempo você é capaz de sobreviver com a atual estrutura física e financeira? Levante TODOS os custos do seu negócio e faça uma projeção para os próximos 3 meses. (Quais foram os dez maiores custos listados? Quais são os três mais importantes entre eles? Veja o que é possível fazer com esses três principais. Renegocie ou tente postergar. Depois passe para os sete custos que restaram);

  • Se sua empresa é lucrativa e conseguiu acumular dinheiro em caixa nos últimos meses, essa é a hora de aplicar na sobrevivência do negócio (aqui está a importância de ter reserva de emergência na vida e nos negócios);

  • Conseguiu esses dados? Agora divida a disponibilidade de caixa pelo custo mensal e você terá uma projeção de possível expectativa de sobrevivência da sua empresa no curto prazo. (Em um cenário confortável, o ideal é que seu potencial de sobrevivência seja maior ou igual a 4,5 visto que as informações atuais demonstram que a crise deve durar até final de julho/2020. Porém, sabemos que no cenário brasileiro é extremamente raro atingir essa taxa);

  • Novamente: reduza seus custos! Separe o que é necessário e está alinhado ao “core business” da empresa e o que não está. Diminuir ou eliminar os custos acessórios pode não salvar sua empresa no curto prazo, mas provavelmente trará mais clareza e maturidade para ações no longo prazo;

  • Reduza seu Pró-labore. É importante sacrificar parte disso em prol da saúde e sobrevivência de curto prazo do seu negócio;

  • Renegocie as dívidas e busque oportunidades de crédito. Linhas especiais para micro e pequenos empresários serão disponibilizadas para ajudar a superar essa primeira maré da COVID-19. Com condições especiais, podem ser extremamente favoráveis para apoiar a empresa na renegociação e sobrevivência (sendo bem clara, troque uma dívida cara por uma mais barata). CUIDADO: Se sua empresa não tem capital para sobreviver pelo menos nos próximos três meses, essa alternativa talvez não seja para você;

  • Fortaleça parcerias: renegocie contratos e reveja seus fornecedores;

  • Hora de valorizar e se adequar ao trabalho remoto. Se sua empresa não tem como trabalhar home office, adote e intensifique as medidas de prevenção e controle da proliferação do vírus;

  • Provavelmente alguns dos seus colaboradores ficarão ociosos e novas demandas tendem a surgir no momento em que sua empresa conseguir se adequar e compreender melhor o cenário de crise. Invista na capacitação dos colaboradores. Atualmente existem inúmeros cursos sendo disponibilizados de forma gratuita na internet oferecidas pelas melhores e mais reconhecidas instituições. Faça um mapeamento dos cursos que são interessantes para a empresa e proponha aos colaboradores que realizem esses cursos;


2. Olhe para fora da empresae busque o fortalecimento das atuaisfontes de receita, veja a possibilidade denovas fontes de receitaecanais de comunicação. Demonstre parceria com o seu cliente, esteja próximo dele;


  • Intensifique o marketing da sua empresa. Grande parte das pessoas estão isoladas em suas residências e o acesso a redes sociais cresceu exponencialmente. Aproveite essa disponibilidade do público e mostre que sua empresa ainda está presente no mercado;

  • Explore novos canais de comunicação. Ative atendimento por Whatsapp, Instagram, Linkedin, Mercado livre, Amazon, Americanas ou qualquer outro meio de comunicação ou marketplace. Seja visto!

  • Tente antecipar as vendas. Cupons, vale-compras ou vale-presente são formas de gerar caixa para sua empresa. Antecipe as vendas programando a entrega para o momento que a crise passar (por exemplo);

  • Facilite as formas de pagamento e mostre-se parceiro dos seus clientes, uma vez que todo mundo está passando pela mesma situação;

  • Realize parcerias B2B e B2C, explore novos públicos e busque novos mercados. Veja algumas formas criativas de oferecer seus produtos ou serviços para outro nicho. Existe alguma oportunidade de agregar valor para esse potencial cliente? Se sim, vá em frente;

  • Por fim: ESTEJA ATENTO! O cliente de hoje jamais será o mesmo da semana que vem;


Durante e após essa crise econômica e de saúde pública, todos os negócios vão senti os impactos negativos e as mudanças do ambiente empresarial e no comportamento do consumidor, cabe aos empreendedores agir com criatividade e identificar oportunidades de inovar e buscar a sobrevivência dos seus negócios no mercado.


(Esse artigo é um compilado das informações encontradas no ebook de Gestão de Crises do Fabio Bussacarini M. Mariano e nas orientações do grupo Sequóia Capital.)


15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page